quarta-feira, 22 de dezembro de 2021

Crítica: King´s Man

 


Em King’s Man: A Origem, quando um grupo formado pelos piores tiranos e criminosos mais cruéis de todos os tempos planeja uma ameaça capaz de matar milhões de inocentes, um homem é obrigado a correr contra o tempo na tentativa de salvar o futuro da humanidade.


Nossa Opinião:

Em um primeiro momento podemos imaginar que estamos diante de uma bomba, o que não é o caso. O filme que trata da origem da agência secreta Kingsman é melhor que sua continuação (Kingsman: Golden Circle). A sensação que a repercução do outro filme foi tão ruim, que o seu diretor Matthew Vaughn mandou não só a outra escritora Jane Goldman para fora como fez de tudo para vender a essa história. (Lembre-se que no filme anterior tínhamos um elenco estelar e não houve esse retorno como era esperado)

E como esse prequal é melhor? Porque ele consegue amarrar a trilogia com informações que tornam os outros filmes bem mais interessantes. Para entender o que eu estou falando seria legal rever os dois filme, mas duvido que você vai fazer isso. Vou dar um exemplo que a maioria deve ter passado desapercebido: Nesse filme é contado como foi a origem do prova de "consagração" de um agente.  

É sem dúvida um ótimo filme de ação e divertido. Recomendação é para assistir se for fã ou por falta de opção. Lembre-se que é um filme baseado em quadrinhos então não levem tudo muito a sério. Por sinal, para minha surpresa, há uma cena extra no pós-créditos. Esse elenco funcionou tão bem que, talvez o diretor tenha planos para outro filme. Quem sabe.




terça-feira, 21 de dezembro de 2021

Crítica : Matrix Resurrection


 

Esse é o novo filme da franquia Matrix, continuando a saga de Neo (Keanu Reeves) em sua busca pela libertação das pessoas aprisionadas mentalmente pelas máquinas. Passando-se 20 anos após os acontecimentos de de Matrix Revolutions, Neo vive uma vida aparentemente comum sob sua identidade original como Thomas A. Anderson em São Francisco, Califórnia, com um terapeuta que lhe prescreve pílulas azuis para neutralizar as coisas estranhas e não naturais que ele ocasionalmente vislumbra em sua mente. 
Ele também conhece uma mulher que parece ser Trinity (Carrie Anne-Moss), mas nenhum deles se reconhece. No entanto, quando uma nova versão de Morpheus oferece a ele a pílula vermelha e reabre sua mente para o mundo da Matrix, que se tornou mais seguro e perigoso nos anos desde a infecção de Smith, Neo volta a se juntar a um grupo de rebeldes para lutar contra um novo e mais perigoso inimigo e livrar todos da Matrix novamente.
Nossa Opinião:

Antes de começar essa crítica é preciso que os fãs dessa tão amada franquia deixem sua paixão um pouco de lado para permitir uma análise mais fria do filme. Assim permitindo aos nossos leitores a escolherem se devem ou não assistir ao filme. 

Dito isso, vamos a nossa crítica. Estamos diante vinte anos desde que a indústria cinematográfica recebeu todas as inovações que Matrix trouxe em termos de tecnologia e história. As irmãs Wachowski colocaram seu nome na história com uma revolução que foi Matrix em 1999. Mesmo como já fora dito que o filmes das irmãs eram um plágio do filme Dark City, a justiça america colocou um fim nisso dando ganho de causa para elas.  

O fato de tamanho sucesso, acredito eu foi a inovação de uma história que fosse apresentado em diversos meios (Cinema, Jogos, Animações) e de alguma forma estarem interconectados a uma história principal [Temos um Marvel´s Cinematic Universe como exemplo funcional disso].

Quando chegamos em Resurrections, temos um grande impacto ao ver um filme que faz uma metalinguagem de si mesmo. Referenciando-se a todo tempo com enormes "flasbacks" e fazendo piada da situação da criação de um filme novo a uma trilogia fechada. Não se assuste, o filme continua sendo um filme de ação. O que eu me questiono é se o filme vale ser um longa metragem ou poderia ser uma série no HBO MAX. 

Como alguém que viu tantas vezes esse filmes, eu via enquadramentos iguaizinhos que apareceram em outros filmes. Devo confessar que isso foi muito desgastante para mim. Não significa que isso vai ser para você. Principalmente se você nunca assistiu nenhum dos filmes. Outro detalhe é que nesse filme não temos a presença do filtro verde que era uma característica da trilogia. 

Tinha uma expectativa que não foi correspondida. Tudo bem. Acontece. Eu peço que se você for ao cinema assistir, que preste muita atenção. Existem personagens que simplesmente desaparecem. Se souberem, me avisem onde foram parar 😜. Se vocês querem muito assistir o filme no cinema, recomendo as salas IMAX (principalmente pelas cores incríveis que se destacam). Minha opinião é que dá para assistir quando chegar no stream numa boa.



sábado, 18 de dezembro de 2021

Crítica : Última Noite

Em Silent Night, acompanhamos a história de Nell (Keira Knightley), Simon (Matthew Goode) e seu filho Art (Roman Griffin Davis), uma família que está se preparando para receber amigos e familiares em um banquete de natal. Entretanto, tudo muda quando descobrem que todos vão morrer. Após uma nuvem venenosa chegar sobre o Reino Unido, a extinção é iminente. No YouTube, já é possível ver pessoas sangrando pelos olhos e ouvidos. No entanto, mesmo nesta hora de pavor final, anúncios felizes são feitos, desentendimentos surgem, pessoas dançam e ocorrem fraquezas comuns.


Nossa Opinião:

Fiquei muito surpreso positivamente pela forma que o roteiro do filme apresenta o seu plot. Como sempre faço, procuro não ter acesso ao conteúdo do filme de maneira nenhuma para deixar que o filme se apresente. Em um primeiro momento o filme busca nos engajar como se estivéssemos vendo um retrato de nossas famílias. Busca uma proximidade de que estaríamos diante de mais um filme de natal. 

Entretanto, o filme começa a mudar de rumo, mostrando que na realidade ele é uma grande distopia. Seus personagens, que até aquele momento pareciam ser superficiais e cumprindo apenas os papéis designados pela família, mostram os seus monstros interiores diante da situação extrema. O filme é interessante e indicado para quem gosta de drama. Pode ser uma boa opção para quem não quer ver nada de natal nos cinemas nessa época de final de ano. 

A Última Noite -  Estréia nos cinemas dia 23 de dezembro
  


quarta-feira, 24 de novembro de 2021

Crítica: House of Gucci


House of Gucci é baseado na história de Patrizia Reggiani, ex-mulher de Maurizio Gucci, membro da família fundadora da marca italiana Gucci. Patrizia conspirou para matar o marido em 1995, contratando um matador de aluguel e outras três pessoas, incluindo o terapeuta. Ela foi considerada culpada e condenada a 29 anos de prisão. Quase 3 décadas de amor, traição, decadência, vingança e assassinato, o filme revela a importância e poder que o nome Gucci carrega e o quanto a família faz para ter o controle.


Nossa Opinião:

Estamos falando de um de Ridley Scott. Um filme denso. Um filme extenso e que precisa ser assim. Quando faço parte de uma cabine de imprensa, como foi o caso de desse, procuro não pesquisar nada e nem ver nada do filme. Assim eu deixo que o filme fale por si só. E o que temos são personagens carismáticos que precisam ser acompanhados com o máximo de atenção pelo telespectador desde o início do filme. Patrizia e Maurizio são os condutores desse drama familiar. 
Pelo olhar deles vemos a ascensão e queda de um império familiar que se tornou maior que seus membros e para história da moda. No que se refere as atuações de Lady Gaga e Adam Driver são excelentes. Recomendo o filme. Como disse anteriormente, é um filme denso e que vale a pena ser assistido.

quinta-feira, 11 de novembro de 2021

Crítica: Love, Victor

O adolescente Victor está em uma jornada de autodescoberta durante a qual enfrenta desafios em casa, se ajusta a uma nova cidade, a um novo colégio e com sua orientação sexual.



Nossa Opinião

Essa é uma grata surpresa no serviço de Streaming HULU nos Estados Unidos e no Star+ no Brasil. A história é muito doce e de fácil associação para a comunidade Gay SIS que em algum momento já passou pelo que o jovem Victor passa. Essa história é um spin-off do filme "Love, Simon" o que torna obrigatório (na verdade não. A série pode ser vista tranquilamente sem ter visto o filme) ver o filme anterior para não ficar boiando com as interações.
Outra questão é histórico da família latina de Victor, muito religiosa que promete se tornar um holofote nos problemas de Victor. Ainda sim, a série encara toda a jornada de descoberta da sexualidade de Victor com doçura, até nos momentos mais sérios. É uma série leve para ver quando se precisa esquecer dos problema do dia-a-dia. Recomendo. 

sábado, 23 de outubro de 2021

Crítica - Only Murders in the Building



 


Only Murders in the Building (Homicídios ao Domicílio) é uma série de televisão de comédia e mistério norte-americana, criada por Steve Martin e John Hoffman. A série, composta por dez episódios, estreou em 31 de agosto de 2021, no Hulu. Only Murders in the Building segue três estranhos, interpretados por Steve Martin, Martin Short e Selena Gomez, que compartilham uma obsessão por um podcast de true crime. Depois de um assassinato em seu prédio, os três vizinhos decidem começar seu próprio programa que cobre a investigação do assassinato. Only Murders in the Building recebeu críticas amplamente positivas dos críticos, que elogiaram particularmente sua abordagem cômica da ficção policial e as performances dos atores principais. Em setembro de 2021, a série foi renovada para uma segunda temporada.



Nossa Opinião:

Afirmo em dizer que estamos diante de uma obra prima do streaming. Não se surpreendam se futuramente essa série seja agraciada com vários prêmios EMMY. Roteiro fechado perfeitamente (raridade), gancho em TODOS os episódios, humor ácido na medida. Três pilares que sustentam o sucesso dessa série. Absolutamente tudo funciona nessa série. A atuação do protagonistas até atuação  dos convidados especiais é digna de aplausos. Fotografia incrível, audio... Difícil achar alguma coisa que não me agrade.  

Há pontos na história que parecem que não foram explorados ao primeiro olhar, mas podem fazer parte do gancho para próxima temporada. Nessa série os detalhes importam muito. Talvez seja isso que me faz adorar ainda mais essa série. Recomendação é clara. 

A primeira temporada da Série já está disponível no STAR+

quarta-feira, 29 de setembro de 2021

Crítica: 007 - Sem tempo para morrer (No time to Die)

 


Em 007 - Sem Tempo Para Morrer, Bond deixou o serviço ativo e está desfrutando de uma vida tranquila na Jamaica. Sua paz não dura muito quando seu velho amigo Felix Leiter, da CIA, aparece pedindo ajuda. A missão de resgatar um cientista sequestrado acaba sendo muito mais traiçoeira do que o esperado, levando Bond à trilha de um vilão misterioso armado com nova tecnologia perigosa.



Nossa Opinião:

Estamos diante da da última vez que Daniel Craig, na frente do papel de James Bond. Importante avisar a você que fará uma enorme diferença rever os últimos filmes do espião britânico para ter um aproveitamento maior do filme, uma vez que ele vem dentro de um escopo introduzido pelos outros filmes. Não se preocupe se não tiver acesso aos filmes anteriores: O filme basta por si só também.

Um filme extenso (são três horas de duração) com pequenas barrigas que quebram um pouco a ação embriagante que sempre trouxe os fãs da franquia para ver o filme. Você no final do filme analisa que esses momento são importantes para trama, o que acaba não sendo um problema no final das contas. 

Tivemos oportunidade em assistir o filme em uma sala IMAX (que é de uma qualidade absurda sonoramente falando e imagem nem se fala) que permitiu identificar os momentos em que o diretor Cary Fukunaga  queria passar a impressão que estávamos junto com a ação do Bond. Pequenos detalhes que fazem toda a diferença no final.

A recomendação é para todos assistirem o filme. Se puderem pegar uma sala IMAX, melhor. Vale muito a pena. Gostaria de falar mais, mas isso seria spoiler.

O filme estréia agora dia 30 de Setembro de 2021 nos cinemas


sexta-feira, 17 de setembro de 2021

Crítica: Everybody is Talking about Jamie


    Inspirado por acontecimentos reais, Everybody's Talking About Jamie é a adaptação cinematográfica do premiado musical do West End de Londres, sobre Jamie New (o recém-chegado Max Harwood), um adolescente em uma cidade operária inglesa com um sonho de vida no palco. Enquanto seus colegas planejam seu sustento após a formatura, Jamie contempla revelar sua ambição de carreira secreta como uma fabulosa e orgulhosa drag queen

    Sua melhor amiga Pritti (Lauren Patel) e sua mãe amorosa (Sarah Lancashire) dão-lhe um apoio infinito enquanto a lenda drag local Miss Loco Chanelle (Richard E. Grant) o orienta em sua apresentação de estréia no palco. Mas nem tudo são arco-íris para Jamie como seu pai caloteiro (Ralph Ineson), uma conselheira de carreira pouco inspirada (Sharon Horgan) e alguns alunos ignorantes da escola que tentam chover em suas aspirações sensacionais. Em números musicais vibrantes e coloridos, Jamie e sua comunidade inspiram uns aos outros a serem mais receptivos e a ver o valor de enfrentar a adversidade saindo da escuridão para os holofotes.

 


Nossa Opinião:

    Antes de mais nada, em razão da minha função devo deixar claro para você que essa não será uma crítica. Porque você me pergunta? Já conhecia o musical do West End (graças ao Youtube) e gosto muito. Mesmo que utilize dos mesmos critérios técnicos que faço em outras críticas, acho importante deixar essa informação clara. O profissionalmente é importante deixar isso destacado pois o que vou fazer é um relato opinativo e não uma crítica como deveria ser. Desculpe. 
    Um musical baseado em um documentário (o verdadeiro Jamie, passa nos créditos finais com sua mãe) conta a história de Jamie New, um jovem de quatorze anos que vive na pequena cidade de Sheffield, Inglaterra. Sua história conta não só como alcançou a realização do seu sonho, mas também como enfrentou seu problemas pessoais.
    O elenco cheio dos atores originais do musical e músicas novas usam da jornada de Jamie como uma forma de mostrar que o "Movimento" Drag, é na realidade uma revolução social. Recomendo esse filme para jovens e famílias aptas a lidar com a realidade. Certeza que você vai sair cantarolando  alguma da músicas do filme depois de assistir. 
    O Filme já está disponível na Amazon Prime Vídeo

quarta-feira, 1 de setembro de 2021

Crítica - Shang-Chi e a Lenda dos Dez Anéis

 

Em Shang-Chi e a Lenda dos Dez Anéis, Shang-Chi é um jovem chinês criado por seu pai em reclusão, sendo treinado em artes marciais. Quando ele tem a chance de entrar em contato com o resto do mundo, logo percebe que seu pai não é o humanitário que dizia ser, vendo-se obrigado a se rebelar.


Data de Estréia: 2 de Setembro 2021




Nossa Opinião:


    Rebatendo inúmeras críticas à Hollywood, Os Estúdios Marvel apresentaram o seu representante asiático. Representatividade é uma questão que ordem e Shang-chi é um personagem que integra os Vingadores e tem um claro direcionamento mercadológico para o rentável mercado Chinês. Sua história em um primeiro momento parece absolutamente deslocada da narrativa que a Marvel nos acostumou a assistir.
     Com o decorrer do filme, a narrativa volta a mostrar aquilo que estamos acostumados a assistir: Um ótimo filme e absolutamente cheio de referências! (aqui fica a minha recomendação para assistir O Marvel Legends: Shang-Chi no Disney Plus ou reassistir Homem de Ferro 1 e 3). Esse filme também vai pegar os amantes de cenas de lutas marciais pois é absolutamente recheado de cenas de ação do início ao fim.
    A recomendação é garantida para o cinema. Inclusive, se tiverem oportunidade de assistirem em um cinema IMAX, eu indicaria. Busquem salas com uma boa qualidade de som por que faz diferença. ENTRETANTO, estamos em um momento de pandemia. Ir ao cinema é um ato de bravura e que exige de cada um de nós respeito e civilidade
    Sigam todas as recomendações: desde o uso de máscaras, álcool em gel e distanciamento social dentro da sala de cinema isso já imaginando que você já tenha tomado vacina. Ainda sim, estamos falando de um risco. Se você conseguir aguardar a 45 dias, poderá assistir o filme no Disney Plus. Vale muito a pena! Não percam a cena pós-créditos. 












sábado, 24 de abril de 2021

Crítica: O Auto da Boa Mentira

 

Baseado na obra do aclamado escritor Ariano Suassuna, o Auto da Boa Mentira é um filme sobre a mentira. Dizem que mentira tem perna curta. Se isso é verdade, a bichinha corre rápido, viu! Em quatro histórias inspiradas em contos bem humorados de Ariano Suassuna, cada uma criada a partir de frases do poeta paraibano, conhecemos Helder (Leandro Hassum), Fabiano (Renato Góes), Pierce (Chris Mason) e Lorena (Cacá Ottoni), vivendo diferentes situações onde, ironicamente, a mentira é sempre a protagonista. Distribuído pela Imagem Filmes.
Estréia Prevista: 29 de Abril 2021.



Nossa Opinião:
Esse filme só mostra uma qualidade enorme que nosso cinema nacional alcançou a trancos e barrancos. Apesar do Brasil, o cinema brasileiro se mostra além de resiliente um expoente em qualidade técnica artística. Temos quatro contos contados com maestria.  Acredito realmente que o filme se comunica com todas as classes.  A mentira é um tema universal. O filme acaba mostrando as consequências em histórias divertidas. 
Sua apresentação simples pode levar facilmente a reflexões sobre a mentira. Indo muito além do entretenimento ou aos "causos" que tanto agradavam o próprio Ariano Suassuna.  A recomendação é para maiores de 12 anos.  Vale muito a pena.

quarta-feira, 31 de março de 2021

SPIRIT: O INDOMÁVEL, NOVA ANIMAÇÃO DA DREAMWORKS, GANHA TRAILER E PÔSTER OFICIAL

 

A Universal Pictures divulga o primeiro trailer e pôster de Spirit: O Indomável, nova animação da DreamWorks dirigida por Elaine Bogan (de “Como Treinar o Seu Dragão - A Série”) e codirigida pelo brasileiro Ennio Torresan (chefe de arte de “Abominável” e “O Poderoso Chefinho”), com estreia nos cinemas brasileiros agendada para 10 de junho.


A nova aventura cinematográfica que segue a jovem Lucky Prescott e retrata sua amizade com o cavalo selvagem Spirit, é inspirada na série original distribuída pela Netflix, da DreamWorks Animation Television, produzida a partir do filme indicado ao Oscar®, Spirit: O Corcel Indomável.





Uma aventura épica sobre uma garota obstinada que anseia por um lugar ao qual pertença e que descobre uma alma gêmea quando sua vida se cruza com um cavalo selvagem, Spirit: O Indomável é o próximo capítulo da amada história da DreamWorks Animation.


Lucky Prescott (Isabela Merced, de “Dora e a Cidade Perdida”) nunca conheceu realmente sua falecida mãe, Milagro Navarro (Eiza González, de “Velozes & Furiosos: Hobbs & Shaw”), uma destemida dublê de Miradero, uma pequena cidade fronteiriça.


Assim como sua mãe, Lucky não é exatamente uma fã de regras e restrições, o que tem causado grande preocupação em sua tia Cora (vencedora do Oscar®, Julianne Moore). Lucky cresceu em uma cidade da costa leste sob o olhar atento de Cora, mas quando Lucky pressiona sua própria sorte com muitas aventuras arriscadas, Cora decide mudar-se e a leva de volta para seu pai, Jim (o indicado ao Oscar® Jake Gyllenhaal), em Miradero.


Lucky está realmente não-impressionada com a pacata cidadezinha. Ela muda de ideia quando conhece Spirit, um cavalo selvagem que compartilha sua tendência independente, e torna-se amiga de duas cavaleiras locais, Abigail Stone (Mckenna Grace, de “Capitão Marvel”) e Pru Granger (Marsai Martin, de “A Chefinha”). O pai de Pru, o dono do estábulo Al Granger (vencedor do Emmy Andre Braugher, por “Brooklyn Nine-Nine” da Fox), é o melhor amigo do pai de Lucky.


Quando um tratador de cavalos sem coração (indicado ao Emmy Walton Goggins, por “Justified”) e sua equipe planejam capturar Spirit e sua manada e leiloá-los para uma vida de cativeiro e trabalho duro, Lucky convoca suas novas amigas e corajosamente embarca na aventura de uma vida inteira para resgatar o cavalo que deu a ela liberdade e um senso de propósito e ajudou Lucky a descobrir uma conexão com o legado de sua mãe e sua herança mexicana que ela nunca esperava.

sábado, 27 de março de 2021

Crítica - Os Novos Mutantes


Cinco jovens mutantes descobrem o alcance de seus poderes e lidam com traumas do passado. Eles são mantidos em uma instituição secreta pela Dra. Cecilia Reyes, que promete controlar suas habilidades. Porém, eles descobrem que nada é o que parece.

Nossa Opinião:

Estamos diante do último filme da Marvel que a Finada 20th Century Fox usava como tentativa depois dos filmes do X-Men (todos zuados em termos de cronologia) e o Road Movie que é o Logan. Temos que lembrar que o objetivo único da Fox era fazer qualquer coisa e vender para o público jovem que conhecia os quadrinhos e nunca ficava satisfeita com as adaptações cinematográficas.

É sem dúvida um filme que deveria ter permanecido como uma Graphic Novel. Apesar dos inúmeros efeitos especiais, a história não cativa ficando muito rasa no que seria a origem desse grupo de personagens. Tudo desse filme é muito periférico. Ele distrai para um filme de Tv aberta. Pode ser facilmente ignorado.

sexta-feira, 26 de março de 2021

O ESQUADRÃO SUICIDA GANHA TRAILER E NOVO PÔSTER

O roteirista e diretor James Gunn está de volta à aventura de ação de super-heróis, agora com a trupe de delinquentes mais degenerados da DC, em O Esquadrão Suicida, da Warner Bros. Pictures.


 

Bem-vindo ao inferno, também conhecido como Belle Reve, a penitenciária com a maior taxa de mortalidade nos Estados Unidos, onde são mantidos os piores supervilões, dispostos a fazer qualquer coisa para escapar – até mesmo integrar a supersecreta e supersombria Força Tarefa X. Qual é a missão de vida e morte para hoje? Reunir um grupo de prisioneiros de alta periculosidade como Sanguinário, Pacificador, Capitão Bumerangue, Caça-Ratos 2, Sábio, Tubarão-Rei, Blackguard, Dardo, e a psicopata favorita de todos, Arlequina. Em seguida, armar todos até os dentes e jogá-los (literalmente) na remota ilha Corto Maltese. 


Na selva povoada de militantes adversários e forças de guerrilha que aparecem do nada a cada momento, os integrantes do Esquadrão estão em uma missão de busca e destruição, e o Coronel Rick Flag é o único homem em terra responsável por fazê-los se comportar... além dos técnicos do governo da equipe de Amanda Waller, falando em seus ouvidos e rastreando cada movimento deles. Como sempre, basta um movimento errado e eles vão acabar mortos (seja nas mãos dos inimigos da ilha, de um companheiro de equipe ou da própria agente Amanda Waller). Se alguém estivesse disposto a fazer uma aposta em dinheiro, a escolha mais inteligente seria contra eles, todos eles.



Novas datas para os lançamentos dos filmes da Disney no cinema e no Disney+



São Paulo, 25 de março de 2021 – Disney Media & Entertainment Distribution anunciou hoje novos detalhes de lançamento para diversos títulos da próxima série de filmes do Walt Disney Studios. O anúncio atualiza detalhes de lançamento do próximo live-action da Disney, “Cruella”, de “Viúva Negra”, da Marvel Studios, e de “Luca” da Disney e Pixar, e também inclui datas de estreia revisadas para vários outros títulos.

 

“O anúncio de hoje reflete nosso foco em fornecer opções ao consumidor e atender às progressivas preferências do público. Ao alavancar uma estratégia de distribuição em um mercado dinâmico que está começando a se recuperar da pandemia global, nós continuaremos a empregar as melhores opções para entregar histórias inigualáveis da The Walt Disney Company para os fãs e famílias do mundo inteiro”, disse Kareem Daniel, Presidente da Disney Media & Entertainment Distribution.

 

Seguindo o lançamento bem-sucedido de “Raya e o Último Dragão”, o aguardado live-action “Cruella” e o tão esperado “Viúva Negra”, da Marvel Studios, serão lançados simultaneamente nos cinemas e no Disney+ com o Premier Access, na maioria dos mercados Disney+, na sexta-feira 28 de maio e na sexta-feira 9 de julho, respectivamente.

 

Semelhante ao lançamento do filme indicado ao Oscar, “Soul” da Disney e Pixar, que encantou os assinantes do Disney+ durante as férias, “Luca”, da Disney e Pixar, será transmitido diretamente nos lares ao redor do mundo exclusivamente no Disney+ a partir da sexta-feira 18 de junho, para celebrar o início das férias e a temporada de verão do hemisfério norte. Nos mercados internacionais, onde o Disney+ ainda não está disponível, o filme será lançado nos cinemas, com datas de estreia a serem anunciadas. 

 

As datas de lançamento nos cinemas também mudaram para vários filmes futuros. As novas datas de lançamento incluem:

 

·  “Free Guy – Assumindo o Controle” no dia 19 de agosto de 2021

·  “Shang Chi e a Lenda Dos Dez Anéis” no dia 2 de setembro de 2021

·  “King’s Man: A Origem” no dia 23 de dezembro de 2021

·  “Deep Water” no dia 13 de janeiro de 2022

·  “Morte no Nilo” no dia 10 de fevereiro de 2022


quarta-feira, 17 de março de 2021

Saiu o novo trailer de "Falcão e o Soldado Invernal"


O novo trailer de Falcão e o Soldado Invernal da Marvel Studios já está disponível no canal oficial do Disney+ Brasil no YouTube. Toda a atenção está voltada para o escudo, legado do Capitão América, quando Sam Wilson (Falcão) e Bucky Barnes (Soldado Invernal) decidem se unir, ou melhor, trabalhar juntos, quando uma nova ameaça global os lança em uma nova missão. A série que estreia nesta sexta-feira, dia 19 de março, dá continuidade aos acontecimentos de Vingadores: Ultimato e segue a história de Sam Wilson e Bucky Barnes, que juntos embarcam em uma aventura pelo mundo que irá testar suas habilidades e paciência. Dirigido por Kari Skogland e com roteiro de Malcolm Spellman, a série terá um novo episódio toda sexta-feira no Disney+.

Para reviver os caminhos percorridos pelos personagens de Falcão e o Soldado Invernal, os assinantes do Disney+ podem aprender mais sobre os personagens em Lendas da Marvel Studios, que possui 4 episódios focados na história de cada um deles.

 


Falcão e o Soldado Invernal é a segunda série da Marvel Studios a ser vista apenas no Disney+. A primeira série da Marvel Studios a chegar ao serviço de streaming da The Walt Disney Company foi WandaVision, que estreou seu último episódio em 5 de março. Todos os 9 episódios com a história completa de WandaVision podem ser vistos exclusivamente no Disney+.


Estreia exclusiva em 19 de março. Só no #DisneyPlus

sábado, 13 de março de 2021

Um novo momento.... de novo.

 Estamos a mais de um ano passando a trancos e barrancos por essa pandemia. Estamos nos esforçando para manter a nossa cabeça erguida nesses momentos mais difíceis como tem sido esse mês de março de 2021. A sensação parece que o ano de 2020 nunca acabou e os problemas de uns cinco anos para cá vêm se acumulando de tal forma que estamos presos em nossas próprias mentes.

Nossa busca por entretenimento para aliviar as situações do dia-a-dia tem nos obrigado a assinar os mais diversos streams. Seja para assistir o BBB21 ou para buscar filmes e séries para acompanhar. 

Imagine você caro leitor, que nós jornalistas dedicados nessa área estamos sem novidades em cinema ou séries a um ano. Muitos colegas nossos não resistiram e fecharam (é uma área tão complicada, que retorno financeiro é só para aqueles mais persistentes. Os gastos são grandes). 

Mudamos de plataformas,  reduzimos custos ao limite do tolerável na expectativa que um momento próximo consigamos voltar exatamente como éramos anteriormente.  Seja para o desenvolvimento de vídeos ou conteúdo escrito. São momentos muito duros. Só que vamos persistir.  

Por enquanto é isso. Não tenho muito o que falar. Até o próximo.